Carregando...

Pronto para as novidades?

Clique no botão e explore nosso site
Confira as matérias

Panelas Goldchef e os seus benficios

Você conhece a Panelas Goldchef? Sabe quais são os benefícios em tê-la em sua casa? Não. Então fique tranquila que vou responder essas e outras dúvidas sobre a melhor frigideira antiaderente já inventada.

Se você já me acompanha aqui, sabe que amo produtos e utensílios que contribuem para uma vida mais prática, e recentemente eu descobri essa maravilhosa frigideira antiaderente, que além de facilitar a nossa vida na cozinha, nela você não usa óleo.

É isso mesmo que você leu, essa frigideira antiaderente possui um revestimento que impede que os alimentos grudem. Clique Aqui e Saiba Mais

Essa foi a primeira pergunta que me fiz quando conheci essa frigideira. De cara posso te garantir que SIM, essa frigideira antiaderente é a quinta maravilha do mundo, pode acreditar, pois eu estou chocada até agora.

A frigideira Goldchef possui um revestimento de altíssima qualidade, ou seja, ela é revestida com cerâmica e titânio, o que a torna resistente a arranhões, riscos e elevadas temperaturas.

Com essa tecnologia, sua vida na cozinha com certeza irá mudar, conforme falei anteriormente, essa frigideira não precisa de óleo. Você pode preparar qualquer alimento sem nenhum problema que ele não irá grudar ou danificar sua frigideira antiaderente. Legal né!

QUERO SABER MAIS…

Benefícios da Goldchef ?

Saúde! É o primeiro benefício que vou destacar, pois não é novidade para ninguém que o óleo tradicional de cozinha não faz bem para a saúde, não é mesmo. E com essa frigideira os alimentos saem sequinhos e totalmente livres de óleo ou manteiga.

O próximo benefício está diretamente ligado a praticidade, ou seja, com essa frigideira você não perderá horas do seu tempo tentando limpa-la, pois o seu poderoso revestimento impede que os alimentos grudem e queimem dentro dela.

Outro ponto muito bacana, é que essa frigideira antiaderente é completamente livre de compostos tóxicos, como por exemplo, PTFE, PFOS e PFOA.

Já deu para perceber que essa Panelas Goldchef é fora de sério, né. Mais calma o melhor dessa frigideira eu guardei para o final. ?

Não posso esconder de ninguém que sou fã dessa frigideira. Sou completamente suspeita para falar dos benefícios e da maravilha que é ter essa peça na minha cozinha, pois bem.

Com essa frigideira antiaderente você pode virar um mestre cuca sem sair de casa. Como assim Luana?

Quando eu falo que é boa é porque é boa mesmo! Por ser uma peça revestida com cerâmica e titânio, nela você consegue grelhar, caramelizar, refogar, fritar, flamejar e até assar no forno.

É isso mesmo minha amiga, essa linda peça suporta temperaturas de até 500ºC, ou seja, você pode usa-la em seu forno como se fosse uma assadeira convencional. Gostou da Ideia? Eu adoro!

Vale lembrar que Panelas Goldchef pode ser lavada na máquina lava louças sem nenhum problema.

Onde Comprar a Panelas Goldchef?

Por se tratar de um produto de qualidade e durável, recomendo que você não compre em qualquer lugar.

Existem muitas imitações por aí, portanto tome cuidado, até porque essa peça vai ao fogo e com a segurança e a saúde não se brinca.

Caso você tenha ficado interessado em adquirir essa frigideira, posso te recomendar o site do distribuidor. Lá o site é 100% seguro, você tem garantias e ainda pode parcelar em até 12x se assim desejar.

Clique Aqui e Saiba Mais ou se preferir, clique no botão abaixo.

‘Opdivo’ (Bristol-Myers Squibb) melhora a sobrevivência em carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço

Nivolumab, registrado pela Bristol-Myers Squibb Company com o nome de ‘Opdivo’, melhora a sobrevida global, em comparação com o tratamento de escolha do pesquisador (cetuximab, docetaxel ou metotrexato), em pacientes com carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço (CCECC) que progride durante ou depois de um tratamento baseado em platina, de acordo com os resultados dos anos obtidos no ensaio de fase 3 aleatório ‘CheckMate -141’, apresentados na reunião anual de 2018, da American Association for Cancer Research (AACR) e publicados na revista ‘Oral Oncology’.


Em particular, os doentes tratados com nivolumab experimentaram uma redução de 32% do risco de morte após um seguimento mínimo de dois anos, com uma mediana de sobrevida global de 7,7 meses, em comparação com 5,1 meses com quimioterapia padrão. A taxa de sobrevivência para os dois anos com nivolumab foi de 16,9 por cento, frente a 6% com quimioterapia padrão.


“A imuno-oncologia tem o potencial de mudar o tratamento do carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço, em comparação com o tratamento de escolha do pesquisador. O benefício mantido na sobrevivência global demonstrado por nivolumab neste estudo é encorajador para o CCECC, que, historicamente, tem uma média de sobrevivência de menos de seis meses”, disse o inmunoterapeuta em câncer e diretor do UPMC Hillman Cancer Center, em Pittsburgh, Robert L. Ferry.


O benefício mantido na sobrevivência global com nivolumab foi observada em pacientes com CCECC recorrente ou metastático com e sem expressão de PD-L1. Após dois anos de seguimento em pacientes tratados com nivolumab cujos tumores tinham expressão de PD-L1 sobre o que um por cento, o risco de morte diminuiu em cerca de 45 por cento. Nos pacientes tratados com nivolumab, cujos tumores tinham expressão de PD-L1 menor de um por cento, o risco de morte em dois anos foi reduzido em 27 por cento, frente a quimioterapia padrão.


“Nivolumab é o único tratamento I-Ou para o carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço, que demonstrou um benefício significativo na sobrevida global em frente à quimioterapia na análise principal. Estes dados de seguimento de dois anos mostram um benefício mantido de sobrevivência global a longo prazo nos doentes, nos diferentes níveis de expressão de PD-L1 e independentemente do estado do HPV”, diz o diretor de desenvolvimento de Bristol-Myers Squibb, Shinta Cheng.


Não houve diferenças estatisticamente significativas entre os dois braços na sobrevivência livre de progressão com nivolumab e a escolha do pesquisador, respectivamente. O perfil de segurança de nivolumab com um seguimento de dois anos, foi coerente com as análises anteriores e com os estudos prévios de nivolumab em pacientes com melanoma e câncer de pulmão não microcítico.


“Com esses dados, que demonstram a durabilidade do efeito benéfico, se reforça o nosso compromisso de continuar investigando com a esperança de oferecer o que mais importa para os pacientes que lutam contra o câncer: a sobrevivência a longo prazo”, escavação de valas Cheng.

Como perder calorias sem recorrer a ‘corrida’

Embora ele tentou várias vezes, ao final regressar a casa cansado e desmotivado. A  ‘Corrida’ definitivamente não é o seu. Mas quer tirar alguns quilos acima. Não se preocupe, existe uma grande variedade de opções com as que alcançar esse objetivo. De fato, há quem apontam que, apesar de A  ‘Corrida’ é um dos exercícios aeróbicos com o que se perdem mais calorias -cerca de oito por minuto a uma velocidade de 8 km / hora-, não é o melhor ou o único método para perder gordura.


Kettlebells ou pesos russas


Trata-Se de umas peso um tanto peculiares, pela sua forma arredondada, com uma alça na parte superior, que vão desde os quatro quilos de peso até os 40 ou 50. Há uma grande variedade de exercícios que você pode praticar com elas e que ajudam a melhorar a força e a coordenação. De acordo com um estudo da Universidade de Wisconsin, um grupo de pessoas que participaram em sessões de trabalho com pesos russas chegaram a queimar cerca de 20,2 calorias por minuto e o ritmo de seu coração foi de uma média de 93% do seu máximo durante um treino de 20 minutos. É claro que tudo depende do nível do que o pratica (vale lembrar que você tem que começar com um aconselhamento profissional para evitar lesões) e a intensidade com que são executados os exercícios. Os treinadores aconselham fazer duas sessões por semana, com kettlebells ou meter exercícios com esses pesos na sua rotina de treinamento.


Burpees


Dez repetições deste exercício que se inicia, você baixa para o modo de agachamento, impulsionam as pernas para trás para ficar na prancha com os braços estendidos, para, posteriormente, realizar uma flexão e voltar à posição inicial com um salto, tem o metabolismo o mesmo efeito que um sprint de 30 segundos ao máximo de sua intensidade. Com o adendo de que, na execução do ‘burpee’ se veem envolvidos em uma ampla variedade de músculos e além disso, trabalha a agilidade, a coordenação e a força do corpo. O aconselhável é começar com 5 ou 6 ‘burpees’ dentro de uma rotina de treino e ir aumentándolo a, pelo menos, 15 por cada ronda de ejecicios.


Agachamento


Apesar de tratar-se de um movimento básico, as sentandillas queimam calorias antes e depois do treino e você só tem que dedicar cerca de quatro minutos. Por isso, os treinadores recomendam incluí-las em qualquer rotina de exercícios. Em oito rodadas de 20 repetições separadas por 10 segundos de descanso, você pode chegar a queimar em média 13,4 calorias por minuto e duplicar a taxa metabólica postejercicio durante pelo menos 30 minutos. Além disso, para que o trabalho não seja repetitivo, você pode optar por diferentes tipos de agachamento: clássicas, sumo, búlgar (alternando entre uma perna e outra com a ajuda de um banco), lobet, com salto, etc., As possibilidades são múltiplas e podem acompanhar também com um kettlebell.


Treinamento com cordas. Battling ropes


Essas duas cordas grossas e longas, que descansam no chão do ginásio servem para algo mais que decoração. Agitando e sacudindo este tipo de cordas podem chegar a perder uma média de 10,3 calorias por minuto. Serve para tonificar, ao mesmo tempo, braços, pernas e abdômen, e podem ser combinados com outros movimentos como agachamentos ou pedaladas.


Crossfit


O crossfit é um sistema de treinamento de força e condicionamento, baseado em exercícios funcionais, constantemente variados realizados em alta intensidade. Toma emprestado movimentos de diferentes disciplinas, como a ginástica, a halterolfilia ou a corrida. O crossfit se tornou moda nos últimos anos por seus resultados. É o esporte perfeito para quem busca queimar calorias de forma rápida, o elevado ritmo de trabalho e a intensidade com que se realiza, mas também melhora a capacidade aeróbica e reduz a gordura corporal. Não obstante, e dado a exigência desse tipo de treinamento, deve ser feito sempre sob supervisão e é recomendada apenas para pessoas que já tem uma preparação prévia.

Acima, sessão de treino de crossfit. Para baixo, para a esquerda, trabalhando com ‘battling ropes’. À direita, um homem, para executar um agachamento clássico. / Fotolia

O HIIT (High Intensity Interval Training)


Trata-Se de um treinamento com intervalos de alta intensidade, em que se misturam curtos períodos de tempo de um treino cardiovascular muito intenso, em torno de 80-90% do ritmo cardíaco, com outros períodos igualmente curtos de intensidade moderada ou baixa (50-60%). É um dos métodos mais eficazes para melhorar a resistência e eliminar a gordura, além de melhorar a condição aeróbica e reduzir a gordura abdominal. O ideal é combinar no mesmo dia HITT com sessões de musculação.


Trabalho com pesos


Há quem acha que o trabalho com pesos está limitado a, aqueles que querem olhar músculo na praia. Mas não. O exercício com pesos ajuda a reduzir as calorias e gordura corporal. Quanto mais músculo você tem uma pessoa queimará mais gordura mesmo sem ter que fazer mais nada o resto do dia. Isto se deve a que o seu metabolismo basal é mais alto. Após os pesos da taxa metabólica permanece elevada. Durante este período, o consumo de oxigênio é maior e tendo em conta que o consumo de oxigênio guarda relação direta com o gasto energético, são utilizados mais calorias (principalmente gorduras). E para obter resultados ainda maiores recomenda-se fazer exercícios aeróbicos após os pesos.


Remo hidráulico


Costuma ser um daqueles aparelhos que estão em um canto quase esquecidos no centro fitness, mas que, no entanto, são um verdadeiro queimador de calorias. Em concreto, de acordo com um estudo da Universidade de Harvard, uma pessoa de cerca de 84 quilos de peso pode perder 377 calorias durante 30 minutos de remo a um ritmo elevado. Além disso, se trabalha, ao mesmo tempo, pernas, costas e braços, com o qual o exercício é bastante completo.


Saltar à corda


Neste exercício aeróbico são envolvidas mais grupos musculares que na corrida e , além disso, coloca à prova o equilíbrio e a coordenação de quem o pratica. Não é de admirar que os pugilistas incluam em sua rotina de exercícios. Saltar à corda cerca de 30 minutos consome, aproximadamente, cerca de 400 calorias. A uma intensidade moderada de 100/120 repetições por minuto queimam cerca de 13 calorias. Estes números são bastante reclamação para começar a fazer isso, pegar bem a técnica e até mesmo desenvolver, de forma adicional, as habilidades das mãos e dos pés para completar o exercício.


Spinning e elíptica


Se você prefere a bicicleta e, além disso, você gosta das aulas em grupo, o ‘spinning’, ‘bike’, ou outras denominações que recebem em uma academia pode ser uma boa escolha. Estima-Se que se perdem cerca de 56 calorias em cinco cunhadas 20 ou 25 quilômetros horas com um peso de cerca de 55 quilos. O mesmo acontece com a elíptica. Uma máquina que, além de permitir a incorporação dos braços ao exercício, tem um impacto sobre as articulações menor do que a corrida na esteira, por exemplo.

Tratamentos com Colageno, Conheça os Benefícios e os Tipos de Tratamento

Quais são alguns dos benefícios mais comuns do tratamento com colágeno? Em seguida, serão apresentados alguns benefícios.



  • Melhorar a textura da pele.

  • Atenua as rugas e algumas cicatrizes.

  • Lábios mais sensuais.

  • Peles mais suaves.

  • Aparência mais jovem.

Como são realizados os tratamentos de colágeno?


Geralmente, realiza-se uma prova cutânea várias semanas antes de receber qualquer injeção de colágeno. Isto é feito para determinar se uma reação alérgica pode ocorrer como resultado do colágeno.


Durante o tratamento, o médico injeta pequenas quantidades de colágeno na pele com uma agulha muito fina. As áreas de injeção estão situadas ao longo da borda do site de tratamento.


O praticante pode encher excessivamente a área, que eventualmente será absorvida em alguns dias.


Os pacientes podem retornar às suas atividades normais logo depois de receber as injeções.


Alguns suplementos a base de colágeno, como o Dermacaps são extremamente eficazes para reposição de colágeno no organismo.


Quanto tempo duram os tratamentos?


As injeções de colágeno podem tomar de alguns minutos a uma hora, dependendo de quão grande uma área que precisa ser tratada.


Onde se realizam os tratamentos?


As injecções são administradas geralmente no escritório do doutor.


Quanta dor existe?


Uma vantagem para o procedimento de colágeno, que melhora a aparência com uma quantidade mínima de dor. O colágeno se mistura com o agente anestésico – lidocaína. Embora a dor é mínima, os pacientes podem requerer a aplicação de um anestésico tópico.


O que posso esperar depois do tratamento com colágeno?


Os resultados dessas injeções podem observar-se quase imediatamente depois do tratamento. As áreas podem ser feridas, vermelho ou inchado, mas isso só deve durar apenas um ou dois dias.


Os resultados do colágeno podem durar seis meses ou até mais. Os resultados podem variar.


Fatores como a idade, o tipo de pele, as atividades diárias podem influenciar a duração dos resultados do colágeno. As áreas com movimento muscular significativo experimentaram um desaparecimento mais rápida do colágeno.


Os pacientes podem optar por submeter-se a um outro conjunto de injeções.


Entra para um tratamento seguinte, antes que os resultados das injeções de colágeno anteriores desapareçam ajudá-lo a manter o efeito duradouro.


Aqueles que não se submetem a um tratamento de rastreamento encontrarão os resultados retornando a um estado de pré-tratamento. Fale com o seu médico para planejar futuras visitas.


Candidato ideal


Em geral, os melhores candidatos para as injeções de colágeno são:



  • Fisicamente saudável.

  • Psicologicamente estável.

  • Querer parecer mais jovem e mais fresco.

  • Desejando melhorar a sua aparência facial.

  • Bem informado com relação ao resultado do processo.

  • Realistas em suas expectativas.

O anterior é apenas uma lista parcial dos critérios que o seu médico considerar para determinar se este procedimento é apropriado para você. Certifique-se de perguntar ao seu médico se ele / ela o considera um candidato ideal para o colágeno.


Baseado na área ou áreas a tratar, um dos vários tipos de colágeno pode ser usado para tratar suas necessidades específicas. Seu cirurgião plástico irá determinar a técnica mais apropriada.

Colesterol, inimigo declarado

Por que éimportante o colesterol em matéria de saúde?


Laarteriosclerosis é uma doença que machuca lasarterias do organismo. Quando afeta à área das artérias coronariasocasiona a doença coronariana, ou doença cardíaca isquémica (que comprendeenfermedades como o infarto do miocárdio e diversos tipos de angina depecho).


Recomenda-Se consumir com cautela margarinas, lecheentera e natas fermentados, queijos, carnes gordas e doces.


Além do corpo, é encontrado também em outras áreas arterialescomo a cerebral, a artéria da cavidade abdominal ou aorta, e outras arteriasdenominadas periféricas, pelo que, na literatura médica, a enfermedadproducida pela formação de lesões arteriais arterioscléroticas delorganismo geralmente é chamado também de doença cardiovascular, enfermedadvascular periférica.


A importância do colesterol sedebe a que se relaciona com a doença arteriosclerótica, em particularcuando afeta as artérias do coração (artérias coronárias), e parte deobservaciones iniciais sobre animais alimentados com alto teor encolesterol e a demonstração de que ele estava envolvido como um constituyenteimportante da placa arteriosclerótica (a lesão característica de laenfermedad).


Enbreve



  • O colesterol ‘bom’ (HDL) não deve serinferior a 35mg/dl

  • O “ruim” (LDL) não deve exceder los160mg/dl

Durante muitos anos, aimportância do colesterol foi objeto de controvérsia, até que, depois de laSegunda Guerra Mundial, realizaram-se grandes estudos epidemiológicos. Enestos estudos foram fortalecidos as consequências negativas do aumento decolesterol no sangue (hipercolesterolemia).


Foi demonstrado que a hipercolesterolemia serelaciona diretamente com o risco de sofrer unaenfermedad coronariana no futuro. Setrata de uma relação linear, de forma que, se o valor de colesterol aumentaun 1%, o risco de complicações cardíacas pode aumentar de 2% para 3%.Além disso, este aumento no risco guarda relação com a idade (40 añosde idade, um aumento de 10% no colesterol total associou-se a um incrementodel risco de 54%, de 39% a 50 anos de idade, 27% a 60 anos deedad, e de 20% aos 70 anos de idade).


No querespecta, por outro lado, não parece que exista um limite de “baixo” de colesterolcon em relação ao risco; por exemplo, em um estudo sobre homens chineses conniveles de colesterol considerados baixos, o aumento de 10% de tais valores decolesterol no sangue relacionou-se ao aumento do risco de doença coronariadel ordem de 20%.


Como Saber mais?


Leproponemos os seguintes artigos:


Qual é a importância da aterosclerose?


O tratamento das doenças causadas por laarteriosclerosis está sendo um desafio para todos os profissionais de lasalud, em especial os envolvidos em prevenir a doença antes de queésta apareça. A prevenção primária é a especialidade dirigida a detectar yestablecer medidas para evitar que surjam novos casos de uma determinadaenfermedad.


Estima-Se que mais de um terço detodas as mortes em países desenvolvidos devem à enfermedadcoronaria.


Desde a década de oitenta a mortalidadmasculina devido a doença coronária tem diminuído progressivamente, graças aos esforços preventivos, mas entre as mulheres, a presença de enfermedadcoronaria parece continuar aumentando.


Antigamente secreía que as doenças coronárias afetam mais os homens que a lasmujeres, mas, ao aumentar o número de mulheres mais velhas, estima-se que losprocesos cardiovasculares, possivelmente, serão a principal causa de muertefemenina. Agora, a partir dos 60 anos da doença em mulheres apareceunos 10 anos depois, e o primeiro infarto cerca de 20 anos mais tarde que no loshombres.


Consultas almédico


Veja em nossa (‘Pergunte ao médico’ muitas consultasrealizadas por nossos usuários.


Entre lapoblación masculina, a doença cardiovascular é apresentada antes em lasmujeres, mas este efeito cedo, se atenua significativamente a partir dos 60años. Após a menopausa, o risco de doença coronariana feminina é tresveces superior. Depois dos 50 anos, os níveis de colesterol parecenestabilizarse entre os homens, enquanto as mulheres se observa unaumento.


O Quésignifica risco cardiovascular?


A partir dos añossesenta, se criou o termo fator de risco cardiovascular que descreve unacaracterística de uma determinada pessoa (ou de uma população de pessoas)associada a um aumento do risco de desenvolver uma doença cardiovascular de um futuro. Na saúde cardiovascular, falar de prevenção é falar de factoresde risco.


Os fatores de risco para a enfermedadcoronaria podem relacionar-se com os hábitos da pessoa (tabagismo, alimentação, atividade física), ter unosrasgos hereditários (algum tipo de processo coronariano como angina de peito,enfarte do miocárdio, etc., em um parente de primeiro grau), ou bienrelacionarse com dados de laboratório, como o aumento do colesterol no unanálisis de sangue.


Além da informação sobre o colesterol total, ao obter-se técnicas de laboratoriomás puras puderam ser detectadas algumas partículas de colesterol denominadaslipoproteínas, cujas duas frações HDL e LDL são as catalogadas comocolesterol favorável ou “bom” colesterol desfavorável ou “ruim”,respectivamente. A determinação destas duas lipoproteínas ligadas alcolesterol permite analisar com muito mais rigor o riesgocardiovascular.


O Programa Nacional de Educação no Colesterol (NCEP) dos Estados Unidos define os fatores de riesgocomo:



  • Consumo detabaco.

  • Aumento dos valores de pressão arterial (hipertensão).

  • Um nível em sangrede colesterol ligado à lipoproteína HDL inferior a 40 mg/dl, o nível de HDLigual ou superior a 60 mg/dl são considerados um fator protetor contra alriesgo).

  • Antecedentes familiares de doença isquémicaprematura

  • Idade igual ou superior a 45 anos de idade envarones e 55 ou mais anos de idade em mulheres.

O que significa “bom” colesterol ycolesterol “mau”?


As principais gorduras na sangreson o colesterol, os triglicerídeos, ácidos graxos livres e losfosfolípidos. Essas gorduras não são solúveis no plasma do sangue e secombinan com determinadas substâncias para formar moléculas transportadoras demayor tamanho, denominadas lipoproteínas, que são capazes de reconhecer mediantetécnicas de utracentrifugación. Foram detectadas diversas lipoproteínas unidasal colesterol, de entre as quais, as de baixa densidade (LDL, já que semantiene o nome, em inglês low density lipoprotein–) e de alta densidade (HDL ou high density lipoprotein) sonlas mais reconhecidas.


As partículas LDL desempenham unafunción fundamental e necessária na formação da aterosclerose. Suaumento no sangue é considerado prejudicial e constitui um objetivo para lostratamientos destinados a reduzir o risco cardiovascular. Pelo contrário,as HDL têm um efeito inverso aos anteriores e o seu aumento no sangue seconsidera protetor em relação ao risco cardiovascular.


O perfil de lipídios básico inclui a determinação dos níveisde colesterol total, colesterol-LDL, colesterol-HDL ytriglicéridos.


Em términosde colesterol total, os níveis indicados por todas as escuelasson:



  • Se a concentração decolesterol é menor de 200 mg/dl, considera-se desejável.

  • Se a concentração de colesterol situa-se entre 200 mg/dl e 239mg/dl, considera-se limítrofe-alta.

  • Se a concentração decolesterol excede o valor de 240 mg/dl, considera-se de alto risco.

Em termos decolesterol LDL, os níveis indicados são:



  • Se a concentração de colesterol LDL inferior a 100 mg/dl, seconsidera ideal.

  • Se a concentração de colesterol LDL sesitúa entre 100 e 129 mg/dl, considera-se quase ideal.

  • Sila concentração de colesterol LDL situa-se entre 130 a 159 mg/dl, se consideralimítrofe-alta.

  • Se a concentração de colesterol LDL sesitúa entre 160 a 189 mg/dl, considera-se alta.

  • Se laconcentración de colesterol LDL é igual ou superior a 190 mg/dl, se consideramuy alta.

Em termos de HDL-colesterol, os níveis indicados são:



  • Entre os homens, as concentrações decolesterol HDL que variam entre 40 e 50 mg/dl, se considerandeseables.

  • Entre as mulheres, as concentrações decolesterol HDL que variam entre 50 e 60 mg/dl, se considerandeseables.

  • Se a concentração de colesterol HDL é a 40 mg/dl, considera-se baixa e representa um fator de risco para laenfermedad coronariana.

O que o médico pode fazer?


Para prevenir a doença cardiovascular é crucialidentificar pessoas com alterações no perfil das gorduras no sangue, yayudarlos a regular este problema. De acordo com os valores dos Estados Unidos, e apesar atingidas conseguiu reduzir os níveis de colesterol modestamente do principiosde os anos sessenta, os últimos cálculos indicam que 50% de todos losadultos norte-americanos detectam concentrações de colesterol superiores a200 mg/dl e que em 20% dos adultos, estes níveis são iguais ou superioresa 240 mg/dl.


A Associação Americana do Coração yel Colégio Americano de Cardiologia elaborou um sistema de puntuaciónpara estimar o risco de doença coronariana, de acordo com a idade, lascifras de colesterol total (e suas fracções), a pressão arterial, sise é ou não diabético e se é ou não fumante. Também na Europa, a SociedadEuropea de Cardiologia desenhou igualmente algumas gráficas sobre risco coronarioque têm em conta os níveis de colesterol, os valores de pressão arterialy se consome ou não do tabaco. Existem algumas diferenças na pontuação entreambos os sexos.


Uma questão controvertida é a partir cuándoy com que frequência você tem que determinar um perfil completo de lipídios em ayunaspara todos os adultos. Nos Estados Unidos, o NCEP o recomenda para todos losadultos de mais de 20 anos de idade, enquanto que o Colégio norte-Americano deMédicos apenas em homens entre 35 e 65 anos de idade e mulheres entre os 45 e 65 anos de idade.

Publicidade

Como é que é, a grandes traços, o tratamento de lahipercolesterolemia?


De acordo com a maioria dos guias actualessobre prevenção do risco cardiovascular, o colesterol LDL permanece elobjetivo fundamental do tratamento. A forma de abordar o problema de suaumento está em consonância com o estado de risco da pessoa:



  • Quando existe doença coronariana, ou sedetectan doenças de risco equivalente, como outras alteracionespatológicas não cardíaca, causada por aterosclerose (como enfermedadde as artérias periféricas, dilatação (aneurisma da aorta abdominal, doença de lasarterias do pescoço (carótidas) que produza sintomas), ou se a pessoa sufrediabetes, o objetivo é reduzir o nível de LDL até valores inferiores a 100mg/dl. Neste caso, além de abordar os demais fatores de risco e empezaruna dieta saudável, podem ser definidas as drogas que normalicen os níveis degrasas no sangue.

  • Quando uma pessoa sem enfermedadcoronaria existam dois ou mais fatores de risco para doença coronariana, elobjetivo é um nível de LDL inferior a 130 mg/dl. Para pessoas sem enfermedadcoronaria mas com um ou nenhum fator de risco, o objetivo é um nível deLDL inferior a 160 mg/dl.

De qualquer forma,o primeiro passo, indispensável, para a redução do colesterol e elcolesterol LDL consiste em modificar os hábitos da pessoa:



  • Deixar de fumar em caso de serfumador.

  • Mudar a dieta, no caso de que o peso seanormal, e em caso de excesso de peso, além de estabelecer medidas parareducirlo.

  • Manter um nível de atividade física (mediaa uma hora por dia na maioria dos dias da semana).

O que pode hacerusted?


A imprensa médica norte-americana foi considerado alcolesterol como o assassino número um em matéria de saludcardiovascular.


O aumento de colesterol no sangue esfrecuente e às vezes tem um carácterfamiliar. Certifique-se com a ajuda de seu médico sobrecuál é o seu nível de risco, em especial, se há familiares por via paternao materno de doença coronariana.


Se você já sabe que sucolesterol é alto, descubra o que significa tal aumento e saiba que existenformas para reduzi-la, começando por mudar o estilo de vida. O seu médico leindicará se, além disso, é necessário seguir um tratamento com medicamentos parareducir seus valores de colesterol.


Dieta



  • A dieta para reduzir o colesterol ensangre é baixa em gorduras do tipo saturada. Recomenda-Se consumir com cautelamargarinas, leite integral e natas, queijo rico em gorduras, carnes gordas yproductos de pastelaria.

  • Limite o consumo de ovos(gemas) para duas por semana.

  • O consumo de gorduras insaturadasresulta benéfico neste sentido, pelo que se recomendam os aceitesvegetales e seus produtos (oliva, girassol, milho).

Ajudar a sua dieta se:



  • Adota o hábito de aumentar sua atividade física, por exemplo,andando por menos de meia a uma hora a maioria dos dias de lasemana.

  • Mantém o peso correto ou perde peso, no caso desobrepeso.

  • Consumealcohol com moderação.

  • Lembre-se que as medidas para reduzir o risco coronarioson limitadas se não se abandona o hábito de fumar.
Dra Montserrat Vilaseca Corbera, especialista em Cardiologia. Atualizado: 08-03-2017

‘Oncotype DX Breast Recurrence Score’ detecta 70% do câncer de mama que não se beneficia de quimioterapia

O teste ‘Oncotype DX Breast Recurrence Score’ consegue identificar a 70 por cento das mulheres com câncer de mama em estádio inicial que não obtêm benefício da quimioterapia, segundo o estudo Experimental Assigning IndividuaLized Options for Treatment (Rx) (‘TAILORx’), anunciado pelo grupo independente ECOG-ACRIN Cancer Research Group, publicados no The New England Journal of Medicine’ e apresentados no encontro anual da Sociedade Americana de Oncologia (ASCO, na sigla em inglês).


Cerca de 50 por cento de todos os casos de câncer de mama diagnosticados anualmente a nível mundial são tumores com receptores hormonais positivos sem o gene HER2 que pode influenciar o desenvolvimento do câncer e sem disfunção celular, isto é, que o câncer está restrito à mama. O estudo estabelece definitivamente que a quimioterapia pode ser evitada em cerca de 70 por cento destes pacientes, incluindo todas aquelas mulheres com mais de 50 anos, com resultados de ‘Breast Recurrence Score’ de 0 a 25 e todas as mulheres de 50 anos ou menos, com resultados ‘Breast Recurrence Score’ de 0 a 15.


“‘TAILORx’ fornece-o com a resposta definitiva sobre a melhor forma de tratar as pacientes com ‘Recurrence Scores’ de 11 a 25, bem como aquelas entre 0 e 10. Estes resultados fornecem um nível de precisão sem precedentes com o mais alto nível de evidência, apoiando a utilização deste teste como um guia para o uso de quimioterapia adjuvante, nesta população, e que representa cerca de metade de todos os casos de câncer de mama”, comentou o diretor associado de pesquisa clínica no Albert Einstein Cancer Center, pertencente ao Montefiore Health System, em Nova York e vice-presidente de ECOG-ACRIN Cancer Research Group, Joseph A. Sparano.


30 por cento das pacientes com câncer de mama em estádios iniciais se beneficiariam da quimioterapia, incluindo mulheres de qualquer idade, com um ‘Breast Recurrence Score’ de 26 a 100. Em mulheres com menos de 50 anos e com um ‘Breast Recurrence Score’ de 16 a 20, tem-se observado um modesto benefício da quimioterapia (2%), que aumenta gradualmente à medida que aumenta o resultado de ‘Breast Recurrence Score’ ao e, acima de 25.


“Os resultados de TAILORx indicam que o teste ‘Oncotype DX’ pode identificar uma maioria de pacientes com câncer de mama precoce em que se pode evitar adicionar quimioterapia, a terapia hormonal. O estudo TAILORx fornece o melhor nível de evidência para a personalização do uso ou não de quimioterapia, uma decisão de grande importância para milhares de pacientes diagnosticadas anualmente com câncer de mama precoce com gânglios negativos hormonosensible”, disse o chefe do Serviço de Oncologia Médica do Hospital del Mar de Barcelona e Coordenador do Comitê Científico do Grupo GEICAM de Pesquisa em Câncer de Mama, Joan Albanell.


Participaram do estudo dos principais grupos de pesquisa clínica em câncer dos Estados Unidos, Canadá, Irlanda, Peru, Nova Zelândia e Austrália. Os pesquisadores utilizaram o teste ‘Oncotype DX Breast Recurrence Score’ para atribuir a cada paciente, o tratamento ou a sua inclusão no grupo sujeito a aleatorização com o fim de determinar o lucro ou não de quimioterapia. Os cinco grupos de pesquisa participantes foram Alliance for Clinical Trials in Oncology, Canadian Trials Group (ECOG-ACRIN Cancer Research Group, NRG Oncology e SWOG.


“‘TAILORx’, assim como o já concluído ‘NSABP B-20 Oncotype DX’, não têm equivalente na sua concepção, na hora de definir quais pacientes se beneficiam de quimioterapia e quem não o faz. Os resultados a longo prazo do ‘TAILORx ‘confere o mais alto nível de evidência a Oncotype DX, o que permitirá que os médicos informar a cada paciente com precisão sobre qual será a magnitude do benefício que recebem a quimioterapia”, acrescentou o diretor científico e diretor médico em Genomic Health, Steven Shak.


As participantes do estudo ‘TAILORx’ com resultados de ‘Breast Recurrence Score’ de 0 a 10, foram tratados apenas com hormonoterapia com base nos resultados do estudo NSABP B-20′, o que demonstrou a ausência de benefício da quimioterapia neste grupo de pacientes. As participantes com resultados de ‘Breast Recurrence Score’ de 26 a 100 trataram com hormonoterapia em combinação com quimioterapia na base também os resultados do estudo NSABP B-20′, que demonstrou um benefício absoluto da quimioterapia superior a 20 por cento.


Para definir com mais precisão o efeito da quimioterapia em mulheres consideradas como grupo de risco intermediário, 6.711 pacientes com resultados de’ Breast Recurrence Score’ de 11 a 25, o principal grupo de estudo do ‘TAILORx’, foram aleatorizadas para receber hormonoterapia com ou sem quimioterapia.


As pacientes aleatorizadas representaram dois terços do total de pacientes recrutadas no ‘TAILORx’, e lhes fez um acompanhamento durante, aproximadamente, uma média de nove anos. No total 10.273 pacientes foram recrutadas no estudo TAILORx’ entre 2006 e 2010. Genomic Health forneceu fundos para a recolha da informação de acompanhamento nos centros de tratamento, se bem que não proveu fundos para o planejamento ou execução do estudo.

‘Ocrevus’ (Roche) é eficaz e seguro no tratamento da esclerose múltipla recorrente

Ocrelizumab, registrado pela Roche com o nome de ‘Ocrevus’, é eficaz e seguro no tratamento da esclerose múltipla recorrente, de acordo com os resultados de alguns estudos que a empresa vai apresentar a 70º Reunião Anual da Academia Americana de Neurologia (AAN, por suas siglas em inglês), que acontece de 21 a 27 de abril, em Los Angeles (Estados Unidos).


Além disso, vai mostrar o programa de pesquisa da companhia na área de Neurociências para a doença de Alzheimer, doença de Huntington, a atrofia muscular espinhal (AME) e a distrofia muscular de Duchenne (DMD).


“Nosso programa de pesquisa na área de ciências e tecnologia é um dos mais amplos e diversos da indústria, já que abrange tanto afecções neurológicas comuns, como doenças raras, bem como grandes necessidades médicas não atendidas. Atualmente, ocrelizumab é aprovado em mais de 55 países em que mais de 30.000 pacientes estão recebendo a terapia. Mantemos nosso compromisso de seguir em frente com a investigação e desenvolvimento, para melhor compreender a progressão da doença e ajudar, assim, tanto os pacientes como para seus médicos”, disse o chief medical officer e responsável pelo Desenvolvimento Global de Produtos da Roche, Sandra Horning.


Em particular, serão apresentados, pela primeira vez, dados do impacto do tratamento precoce com Ocrelizumab sobre biomarcadores de inflamação e de neuro-degeneração em pacientes com esclerose múltipla resistente e esclerose múltipla primariamente progressiva, encontrados no estudo ‘ALTO’.


Outras apresentações na esclerose múltipla incluem a análise atualizada do perfil de segurança de ocrelizumab, que reforçará ainda mais o seu perfil favorável de risco-benefício. Também serão apresentados novos dados do estudo piloto ‘FLOODLIGHT’, que apoia o uso da tecnologia móvel como complemento de ensaios clínicos, para proporcionar uma imagem mais completa e em tempo real da atividade da doença de base do paciente.


DADOS SOBRE CRENEZUMAB E GANTENERUMAB


Do mesmo modo, se darão a conhecer quatro apresentações com crenezumab e gantenerumab, anticorpos na investigação contra o peptídeo beta-amilóide, com dados encorajadores frente a esta doença, provenientes de ensaios clínicos de fase III ‘criado o novo’ e ‘GRADUATE,’, respectivamente. Em outra sessão, serão apresentados dados sobre gantenerumab que mostram uma redução significativa das placas de beta-amilóide no cérebro, com um regime de dose mais elevada (1200 mg), em dois ensaios clínicos abertos de extensão fase III.


De fato, os dados destes dois ensaios orientaram a seleção e classificação do regime de dosagem para o ensaio clínico fase III ‘GRADUATE”, que acaba de colocar em funcionamento e que investiga gantenerumab para o tratamento da doença de Alzheimer precoce. Serão apresentados dois posters sobre crenezumab: um incidirá sobre os dados pré-clínicos e discutido o mecanismo de ação proposto, incluindo os dados que respaldam sua união preferencial para os oligómeros de nervos do peptídeo beta-amilóide.


Além disso, um segundo cartaz descrevendo os resultados de um ensaio clínico fase I-b de segurança, tolerância e farmacocinética dose de 120 mg. Os dados deste estudo foram utilizados para determinar a dose ideal que agora é usado no ensaio clínico ‘criado o novo’ que investiga crenezumab para o tratamento da doença de Alzheimer em fase inicial.


Os dados de um ensaio clínico fase I/Ii de dose ascendente múltipla RG6042 (anteriormente conhecido como IONIS HTTRx), na doença de Huntington é apresentado em uma sessão plenária. Estes dados subrayarán o perfil de segurança e tolerância a este medicamento em investigação em pauta de quatro doses mensais, que demonstram uma redução dependente da dose da proteína huntingtina mutada (mHTT), e mostram análise exploratórios adicionais deste primeiro estudo em humanos.


As apresentações de AME incluem dados provisórios sobre o aumento da sobrevivência dos níveis de proteína do neurônio motor (SMN) depois do tratamento com RG7916 em crianças com AME tipo 1. Trata-Se de uma opção da junção SMN2 de administração oral em fase de investigação desenvolvido em colaboração com PTC Therapeutics e a Fundação de AMAR.


Finalmente, serão apresentados os resultados de um ensaio clínico fase I/II da proteína de fusão de adnectina RG6206 na pesquisa adolescentes e homens jovens com DMD. Os dados destacam os níveis de supressão de miostatina alcançados e do seu potencial efeito para aumentar o volume de massa corporal magra.

‘Nucala’ (GSK) reduz as exacerbações no tempo e melhora o controle da asma grave eosinofílica

Mepolizumab, registrado pela GlaxoSmithKline (GSK), com o nome de ‘Nucala’, traz uma redução de exacerbações de forma constante e melhorias no controle da asma, com um perfil de segurança semelhante ao de anteriores ensaios clínicos em pacientes com asma grave eosinofílica, de acordo com novos dados provenientes do estudo de maior duração, postado até a data e denominado ‘C.’, sobre este tratamento biológico anti-IL-5 para a asma grave eosinofílica.


Trata-Se de um trabalho de segurança e eficácia a longo prazo de mepolizumab em pacientes com asma grave eosinofílica. O estudo inclui dados de pacientes que estiveram em tratamento com mepolizumab durante uma média de 3,5 anos, e até um máximo de 4,5 anos.


“Esses novos dados nos mostram que ‘Nucala’, um tratamento biológico, dirigido, traz um benefício prolongado, os pacientes com asma grave eosinofílica. Os resultados mostram que este medicamento consegue uma redução duradoura de exacerbações e melhora do controle da asma durante um período de tempo considerável, sem novas descobertas de segurança”, disse o diretor de p & D da Área de Respiratória GSK, Dave Allen.


Em particular, os resultados mostraram uma diminuição de 61 por cento na taxa de exacerbações; taxas de exacerbações por ano mantidas de forma constante durante o período de estudo (primeiro ano, 0,71; segundo ano, 0,82; terceiro ano, 0,71); e melhoria no controle da asma desde a avaliação inicial (semana 12) e mantida durante mais de quatro anos (até a semana 228).


Além disso, foi observada uma redução de 78 por cento no número de eosinófilos no sangue (glóbulos brancos, que causam inflamação em certas pessoas com asma grave) a partir da semana de quatro e mantida até o final do estudo, os perfis de segurança e imunogenicidade, a longo prazo, foram semelhantes aos observados em estudos prévios sobre asma grave eosinofílica; e as melhorias iniciais na função pulmonar diminuiu gradualmente durante o período de estudo, refletindo a deterioração geral da função pulmonar previsto nesta população de pacientes.


“As pessoas que sofrem de asma grave eosinofílica e que não conseguiram controlar a sua doença com o tratamento inalados ou orais, sempre procurou outras opções para melhorar esse controle. Agora sabemos que isso pode ser alcançado com o tratamento biológico e estamos muito contentes de ver a eficácia a longo prazo do tratamento anti-IL-5, com Nucala, combinado com um perfil de segurança a longo prazo”, escavação de valas, professor associado de Medicina na Clínica Cleveland, em Ohio, e Investigador Principal no estudo Columba’, Sumita Khatri.

6 formas de se manter ativo acima dos cinqüenta

O exercício, ocioso é dizer a estas alturas, é bom para todos. Fortalece os músculos, promove a mobilidade, acelera o ritmo cardíaco e, globalmente, é bom para o bem-estar, particularmente à medida que envelhecemos. E, de acordo com um estudo publicado no British Journal of Sports Medicine, fazer exercício moderado várias vezes por semana é uma forma excelente de manter… a acuidade mental. Isso é bom para todos.


E nunca é tarde demais. Você tem muitas opções ao seu alcance, se você é um recém-chegado ao exercício organizado.


Em seguida, os conselhos de nosso consultor em matéria de fitness, Lucas da Silva, para os maiores de cinqüenta.

Homem maduro na piscina

Os exercícios mais recomendados em função de sua idade.


1. Step-ups


Este exercício vai trabalhar o sistema cardiovascular, o que acabará a melhorar sua forma física e sua capacidade de recuperação, mesmo das simples tarefas diárias.


2. Exercícios de equilíbrio


“Os exercícios de equilíbrio ajudam os músculos em torno das articulações a se fortalecer, uma vez que ajudam a evitar quedas”, ressalta Lucas.


Além de ajudar a emagrecer tem muitos impensáveis benefícios.

Publicidade

3. Flexões (squats)


“Fica de pé diante de uma cadeira, com os pés bem separados, e agáchate lentamente, mantendo-se em linha reta costas e apertar os músculos abdominais para que a coluna fique em linha reta”, explica Lucas.


As flexões são perfeitas para melhorar tanto a postura, o equilíbrio, ao mesmo tempo em que fortalecem os músculos do quadril, o que facilitará que você possa ter maior mobilidade. Este exercício irá ajudá-lo a sentar-se e levantar-se com mais facilidade à medida que se lembrem de anos.

Homem maduro em tapete rolante

4. Exercício cardiovascular


A recomendação comum é combinar uma atividade aeróbica regular de exercícios com pesos, duas ou três vezes por semana. Uma possibilidade é a combinação de yoga com bicicleta ou natação, o que irá melhorar tanto a sua flexibilidade como a sua força muscular.


Algumas dicas para melhorar o seu esforço


5. Marcha in situ


Explica de la Serna:


Como o anterior, este é um excelente exercício para o coração e o sistema circulatório. Igualmente, melhora o equilíbrio e a coordenação.


6. Mudanças em sua vida diária


Há muitos outros momentos que se podem aproveitar para fazer um pouco de exercício. Lucas diz:


Correr não está entre eles.

7 sinais de que tem falta de ferro

O ferro é um mineral -um oligoelemento – que faz parte da hemoglobina dos glóbulos vermelhos, que são aqueles que transportam o oxigênio para as células, através do sangue. Também faz parte de outras enzimas celulares que intervêm na cadeia respiratória e na obtenção de energia. 66% do ferro do organismo encontra-se na hemoglobina.

Mulher só, diante do lavatório

A falta de ferro é a carência nutricional mais comum em todo o mundo e pode provocar um tipo de anemia, anemia ferropénica, com palidez, fadiga e tonturas. Além disso, de acordo com um estudo de 2016 publicado no The Journal of Nutrition, um baixo nível de ferro em parceria com mais baixo desempenho mental com piores tempos de reação, controle inibitório e capacidade de planejamento.

Especialistas britânicos do Active Iron fornecidas aqui 7 sinais comuns de deficiência de ferro, mais algumas dicas para colmatar a deficiência deste mineral-chave. Alguns deles, surpreendentes.

1. Está exausto

O ferro é fundamental para o aporte de oxigênio para as células, e não é estranho, portanto, que um dos primeiros sintomas de deficiência de ferro seja um cansaço anormal.

2. Tem frios os pés e as mãos

Pode ser surpreendente, mas o corpo precisa de ferro para gerar calor, com o que ter as mãos ou os pés frios pode ser sinal de carência do mineral.

3. Está pálido

A falta de ferro gera o declinar dos glóbulos vermelhos, o que pode causar palidez geral. Se a cara, os dedos dos pés, a ponta das mãos, o interior dos lábios ou de pálpebras estão mais esbranquiçados do que o habitual, pode dever-se ao défice de ferro.

4. Tem unhas secas e quebradiças

O ferro é fundamental para o crescimento do tecido das unhas. Se você tem estrias ao longo das unhas e quebram ou craquelan facilmente, pode ser um sinal de que os níveis estão baixos.

5. A língua tem um aspecto estranho

Se você está pálida ou muito macio pode dever-se à falta de hemoglobina no sangue, causada, geralmente, por um baixo nível de ferro.

6. Falta anormal de ar

Por exemplo, se você subir um andar depressa, a escada, ele produz um suspiro anormal. De novo, a culpa pode ser a falta de ferro.

7. Se lhe cair o cabelo

O ferro é um dos minerais mais importantes para o cabelo, de modo que se nota que o pente ou a escova retêm mais cabelo do normal, ou se vê que clareia o cabelo em algumas áreas, já sabe qual pode ser a causa.

Vários tipos de carne

4 atividades que podem roubar ferro ao corpo

1. Doar sangue regularmente.

Doar sangue resta ferro no corpo, e pode contribuir para a sua falta. Não sugerimos que deixe de fazer tão benéfica costume, mas, se você doar sangue, certifique-se de que sua alimentação contém o suficiente aporte do mineral –carnes, vegetais de folhas, legumes– e você vai se sentir melhor depois da doação.

2. Fazer exercício regularmente.

Também sugerimos que deixe de fazê-lo, seus benefícios estão mais do que provadas pela ciência. Mas o certo é que o exercício requer uma quantidade adicional de ferro, igualmente, para ajudar a fornecer o oxigênio necessário para as células de todo o corpo. Uma pessoa que faz exercícios regularmente pode necessitar de até 30% a mais do minério que uma pessoa sedentária.

3. Tomar muito café ou chá.

Há pesquisas que mostram que o chá e o café peden reduzir a absorção do ferro. Tomá-lo antes, durante ou logo após as refeições pode reduzir a absorção.

4. O vegetarianismo.

O corpo absorve o ferro da carne, as aves e o peixe de duas a três vezes mais eficiente que o que vem de vegetais. É Por isso que as dietas vegetarianas são mais propensos a causar deficiência de ferro.

3 fatores que podem contribuir para a sua falta

1. Tem regras abundantes.

A perda abundante de sangue durante o período mensal envolve mais risco de provocar a sua falta.

2. Está grávida.

Durante a gravidez as mulheres precisam até o dobro de ferro. O corpo precisa para produzir mais sangue e fornecer o oxigênio necessário ao feto. Se não há reservas suficientes, pode ocorrer a falta.

3. É celíaco

O défice de ferro é relativamente comum em pacientes de doença celíaca não diagnosticada, pois a absorção de ferro é difícil com a doença. Na doença celíaca, a flora intestinal é destruída sequer parcialmente, pelo glúten, o que dificulta a absorção não só o ferro, mas também de outros nutrientes.

O primeiro passo em caso de suspeita deve ser falar com o médico ou com o farmacêutico. Manter uma dieta rica em ferro é recomendada e, em caso de falta do mineral, existem suplementos que podem ajudar a restaurar os níveis adequados.

8 coisas que devem ser levados em consideração antes de inscrever-se para a “dieta crua”

Será que vale realmente a pena?


“Comer cru” significa muito mais hoje em dia que mordiscar um palitode cenoura, ou considerar que salada vamos almoçar hoje. É unenfoque de estilo de vida completo e –de momento– a última das muitas tendências de comer “limpo” entre os entusiastasde da nutrição saudável. E, de novo, até hoje, parece que a coisa vai, a sério:há cada vez mais produtos crus em lojas especializadas e supermercados.


E surge a pergunta,claro: a “dieta crua” é boa para a saúde, ou é apenas outra modadietética?


O que significa a dieta crua?


A teoria subjacente é que os alimentos crus estão cheios deenzimas naturais, e que calentarlos acima de 47°C destrói amaioria delas, e também as vitaminas e fitonutrientes quecontienen. Dito de outro modo, quando cozinhas, o mates.


A maioria de seus seguidores adotam uma dietavegana, totalmente baseada em vegetais, que, basicamente, é enfruta, legumes, nozes, sementes e ervas. Alguns adicionam leite e quesocrudos, sem pasteurização, mel e peixe cru; até mesmo carne crua. Laslegumbres e os grãos germinam e são consumidos crus. Outros alimentosadmitidos são elaceitede oliva extra virgem e óleo decoco virgem cru.


Quais benefícios.?


Certamente tem benefícios. Ao centrarseen alimentos vegetais, proibindo a cozinhar, comer muita fruta e legumes,as fontes mais ricas de nutrientes. E, do ponto de vista de emagrecer,comer mais alimentos crus funciona, possivelmente devido alhecho de que os alimentos crus são mais difíceis de digerir, o quesignifica que o corpo tem de trabalhar mais (queimando mais calorias) durantela digestão. Também é praticamente impossível comer alimentos crus enexceso.


Efectivamente, se bem que introduzir mais alimentoscrudos na dieta tem claros benefícios para a saúde, os expertoscoinciden em que limitar-se por completo a alimentos crus deve serconsiderado com muito cuidado.


Razões para ter cuidado antes de se mudar para a dietacruda


1. Pode resultar em deficienciasnutricionales


Particularmente, vitaminasB12 yD, e os elementos e mineralesselenio,ferro,zinco e ácidos graxos ômega-3. Sem suplementosdietéticos adicionais, é muito difícil (e impossível no caso da vitaminaB12) alcançar níveis adequados de nutrientes com unadieta crua. Diversosestudios mostraram que susseguidores têm níveis mais baixos, ou marginais, de B12, vitamina necesariapara manter a saúde dos glóbulos vermelhos, prevenir a anemia e proteger contraenfermedades cardíacas.


2. Algunosalimentos são mais nutritivos quando é cozida


Cozer lostomates, por exemplo, multiplica por 5 a disponibilidade deese potente antioxidante que é o licopeno. Do mesmo modo, a cozedura de laszanahorias facilita que o corpo absorva o beta-caroteno que contêm. Lacocción também quebra as paredes das células vegetais, o que liberamuchos nutrientes, colocando-os à disposição do corpo durante a digestão.Os vegetais de raiz, por exemplo, oferecem uma boa gama de nutrientes,mas são difíceis de digerir, a menos que estejam cozidas: véasela beterraba. É verdade que o calor destrói certos nutrientes (como lavitamina C e losfolatos), por isso desde o puntode vista nutricional, uma combinação de alimentos crus e cozidos é probableque seja o mais benéfico para a saúde.


3. Não há tanto por onde escolher


“Comer sóloalimentos crus limita, necessariamente, os alimentos à disposição, e apesar da moda nem sempre são fáceis de encontrar”, diz lanutricionista diplomada Priya Tew. Comer enrestaurantes e em jantares e refeições “sociais” será, de repente, difícil. Yademás, será mais chato. Para finalizar, a preparação requerida deuna dieta de alimentos crus pode ser longa, até mesmo, para alguns,esquina.


4.Pode causar problemas digestivos


Pode estressar elsistema digestivo, particularmente em pessoas consíndrome de intestino irritável e outros trastornosintestinales. Isso se deve em grande parte à alta ingestão de fibra, quepuede causar problemas no intestino sensível. Cualquieraque sofra algum problema digestivo você deve consultar com um especialista ennutrición ou um endocrinólogo, já que muita comida crua pode não ser enabsoluto adequado.


5. E, em qualquer caso, a maioria das enzimas vegetais são destruídas pelo ácido do estômago


“Os defensores da dieta crua afirmam que o cozimento mata lasvaliosas enzimas vegetais que são necessárias para a digestão. Na realidade,estas enzimas vegetais não têm benefícios identificáveis, porque o cuerpoelabora suas próprias enzimas digestivas”, afirma o Dr. Duane Melhor, da universidade de Coventry, na Inglaterra. “Além disso, o ácido estomacaldestruye rapidamente as enzimas vegetais de alimentos crus”.


Os benefícios digestivos sugeridos provienenprobablemente de fibras e compostos fenólicos presentes nesses alimentos,que as bactérias intestinais fazem fermentado, algo que está cada vez másasociado, com benefícios para a saúde”.


6. Alguns alimentos muito nutritivos não se podem comercrudos


Os grãos e legumes, a menos que os hagagerminar anteriormente. Estes alimentos estão cheios de fibras, vitaminas yminerales, e fornecem uma grande fonte de proteínas vegetais. No entanto,sem cozinhá-los são indigeribles e nocomestibles.


7. Com losalimentos crus há que se cuidar ao extremo a higiene


Cozinhar é a melhor defesa contrasalmonella, E-coli e outras bactérias.Devido a alguns alimentos crus e não pasteurizados podem ser portadoresde várias bactérias perigosas, haverá que ter muito cuidado ao lavar e preparar alimentos. Devido ao risco de intoxicação alimentar,a dieta crua não é recomendada para mulheres grávidas, crianças pequenas,idosos ou indivíduos com sistemas inmunológicosdebilitados.


8. A comida é algo maisdo que a soma de seus nutrientes


“É importantedisfrutar da comida, e não só deve ter em consideração a saúde”,diz o Dr. Mellor. A cozinha ajuda a desenvolver sabores e aromas yglobalmente já é considerada como uma manifestação de cultura. Claro que aumentar a ingestão de fruta e legumes faz bem para a saúde,mas pensar que a solução é comer só cru, é, provavelmente, unerror e desde então está longe de transformar a comida em algoplacentero que é, também, de que setrata.


Aproveite e vejas outras dietas do Programa Tres Marias que irá ajudar a você perder o peso necessário no tempo que você precisa.

‘Mães em ação’ recebe mais de 150 candidaturas em duas horas, a sua vocação para atender às 14 crianças hospitalizadas

A associação valenciana ‘Mães em Ação’, dedicada a acompanhar crianças em situação de desamparo que estão sozinhos durante o seu internamento hospitalar, agradeceu “a grande resposta solidária” obtida seu chamado para encontrar voluntários que cobrir os turnos de atendimento às 14 menores internados já que em menos de duas horas, foram recebidas mais de 150 pedidos.


“Estamos esmagados”, disse a presidente desta associação, Majo Gimeno, em declarações à Europa Press. Esta associação foi criada em 2015 “dar carinho” a crianças hospitalizadas, que, por estar em situação de desamparo, não têm ninguém que lhes acompanhe durante o seu rendimento.


A esse respeito, explicou que costumam atender a cerca de seis crianças por mês, mas este há que cuidar 14 e lhes faltava voluntários para poder cobrir todos os turnos e eles tinham que deixar a alguns deles sozinhos. Por isso, esta quinta-feira, lançaram uma campanha pelas redes sociais para pedir ajuda, e a resposta foi “impressionante”.


Assim, Gimeno contou que o chamado chegou a mais de 500.000 pessoas nas redes sociais e em duas horas você recebeu mais de uma centena de pedidos para fazer parte desta associação.


“Os telefones não pararam de tocar até as 2:00 da madrugada com uma mensagem a cada meio segundo”, disse. Agora têm cinco pessoas, respondendo a todas as chamadas e e-mails recebidos, pois não querem deixar ninguém sem resposta.


‘Mães em ação’ farão o mesmo na sexta-feira a estes 150 primeiros voluntários para que a segunda-feira possam começar já a acompanhar estes 14 menores durante a sua estadia no hospital.


Por outro lado, Gimeno destacou que o fato de ter sido selecionada pela Fundação Botín para fazer parte do programa Talento Solidário entre mais de 400 projetos apresentados para a IX edição-lhes permitirá avançar em seu objetivo de estabelecer-se em todas as cidades em que haja um hospital de referência em pediatria.


Assim, a Fundação Botín ajudar-lhes-á mediante a elaboração de um plano estratégico para ser “sustentável” e poder consolidar-se em Valencia, e a “dar o salto” e expandir-se para fora. Para isso, “vendem” um dia de seu calendário solidário por 20 ou 50 euros e o objectivo é conseguir empresas e pessoas que fizerem doações para cobrir os 365 dias do ano.


A esse respeito, querem abrir a venda deste calendário solidário em Madrid, primeira cidade em que se expandam e onde já estão em conversações com as autoridades de saúde para dar asas ao convênio que lhes permita estabelecer-se.


Gimeno explicou que a ideia de fundar essa associação surgiu porque o ser mãe “chocó” ver uma criança só internado no hospital que se ofereceu para cuidarle. No entanto, a partir da direção do centro lhe informou que não poderia fazê-lo a título individual.


Por isso, fez esta associação que teve um crescimento “exponencial”, tanto no número de voluntários, de 40 com os partiram os 309 que tinham nesta quinta-feira e a superar os 500 com estas novas adições, como no número de crianças atendidas. Apenas três em 2017, a 12, em 2016, e para 41 em 2018.


A ação mais estratégica de Mães em Ação é atender às crianças em situação de desamparo em hospital ou levar a uma revisão médica, mas se você não tem muito tempo livre pode contribuir cobrindo as necessidades materiais básicas das famílias doando roupas de bebê, grávida, calçados e utensílios de puericultura.


Do mesmo modo, organizam uma festa de aniversário mensal nos lares para crianças que ajudam com o desafio de que os próprios filhos dos voluntários empenhados na consecução dos presentes que as crianças vão receber. Por último, dão apoio a mães em situações exigentes, com ânimo de progresso.

‘Lynparza’ (AstraZeneca e MSD) melhora a sobrevida em câncer de mama metastático

AstraZeneca e a Merck & Co (conhecida como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá) são apresentado na Reunião Anual da Associação Americana para Pesquisa do Câncer (AACR, na sigla em inglês) dados do ensaio fase III ‘OlympiAD’ que mostram que olaparib, registado com o nome de ‘Lynparza’, melhora a sobrevida global em câncer de mama metastático.


“É o primeiro ensaio de fase III em demonstrar controle da doença com um inibidor do flash de o câncer de mama metastático HER2 negativo e com mutação BRCA. Embora o ensaio não foi concebido para demonstrar diferenças na sobrevivência global em frente à quimioterapia, os resultados são outro marco esperançoso no uso de olaparib para este grupo de pacientes”, diz o vice-presidente executivo de Desenvolvimento Global de Medicamentos e diretor médico da AstraZeneca, Sejam Bohen.


Em concreto, o ensaio se comparou olaparib com a quimioterapia (capecitabina, eribulina ou vinorelbina) em pacientes com câncer de mama metastático HER2 negativo com mutação BRCA na linha germinal (gBRCAm), alcançando-se o objetivo primário de classificação de sobrevivência livre de progressão (SLP).


Os resultados apresentados na Reunião Anual da AACR incluem dados atualizados do objetivo secundário de classificação de sobrevivência global. Embora o trabalho não foi desenvolvido para demonstrar a existência de uma diferença estatisticamente significativa, a média de sobrevida global foi de 19,3 meses entre as pacientes tratadas com olaparib e de 17,1 meses entre as pacientes tratadas com quimioterapia. O corte de dados final da sobrevivência global, quase 13 por cento das pacientes se encontravam em tratamento no grupo de olaparib frente a nenhuma das pacientes do grupo de quimioterapia.


“Para pacientes e médicos, estes resultados são importantes, já que respaldam o objetivo de classificação de sobrevivência livre de progressão, demonstrando que as pacientes tratadas com olaparib puderam ficar sete meses sem quimioterapia”, destaca o vice-presidente e diretor de Desenvolvimento Clínico Global e diretor médico a merck Research Laboratories, Roy Baynes, depois de sublinhar a importância de identificar as mutações no gene BRCA para otimizar o tratamento do câncer de mama metastático.


Além disso, na análise por subgrupos pré-definidos, os resultados foram consistentes com a análise global, que não mostrou uma diferença estatisticamente significativa entre os braços. A maior diferença foi observada entre os pacientes que não haviam sido tratadas com quimioterapia no contexto metastático, com uma média de diferença de sobrevivência global de 7,9 meses com olaparib.

‘Keytruda’ (MSD) reduz o risco de reincidência ou morte em 43% como terapia adjuvante no melanoma avançado

Pembrolizumab, registrado por MSD com o nome de ‘Keytruda’, reduz o risco de recorrência da doença ou a morte de 43 por cento em comparação com o placebo como tratamento adjuvante no melanoma em estadio III, ressecado e de alto risco.


Assim o mostram os resultados do ensaio de fase 3 ‘EORTC1325’/ ‘KEYNOTE-054’, anunciados pela companhia e pela Organização Europeia para a Investigação e o Tratamento do Câncer (TRAUMÁTICO, por suas siglas em inglês), na reunião anual da American Association for Cancer Research de 2018, com publicação simultânea na revista ‘The New England Journal of Medicine’.


“A TRAUMÁTICO está muito satisfeita de ter colaborado com a merck neste importante estudo, que mostrou um benefício significativo na sobrevida livre de recaída em melanoma em todo o estádio III”, diz o diretor do estudo, diretor geral do Instituto do Câncer Gustave Roussy e professor de Oncologia na Universidade de Paris-Saclay (França), Alexander Eggermont.


Neste sentido, o vice-presidente sênior, diretor de Global Clinical Development e diretor médico de Pesquisa clínica para a merck Research Laboratories, Roy Baynes, garantiu que os dados trazem “provas convincentes” de que o tratamento adjuvante com pembrolizumab proporcionou um benefício significativo na sobrevida livre de recidiva após cirurgia em pacientes com melanoma em estadio III de alto risco.


“Estes são os primeiros dados de pembrolizumab no contexto de adyuvancia e marcam um importante avanço no tratamento do melanoma em estadio III ressecado. Estamos muito felizes de compartilhar estes dados com as autoridades regulatórias internacionais”, destaca.


Trata-Se do primeiro tratamento anti-PD-1 em mostrar benefício na sobrevida livre de recaída em melanoma em estádios, IIIA, IIIB e IIIC. O benefício na sobrevida livre de recidiva foi observada, também, independentemente do estado de mutação de BRAF. Como tinha sido anunciado anteriormente, a merck está trabalhando para enviar os dados do estudo ‘EORTC1325’/’KEYNOTE-054’ para as agências reguladoras dos Estados Unidos e de todo o mundo.


“Como uma organização dedicada a eliminar o sofrimento e as mortes causadas pela melanoma, temos o prazer de ver esses novos dados importantes com pembrolizumab. A possibilidade de prevenir significativamente a recidiva de melanoma após a cirurgia, juntamente com o perfil de segurança apresentado, fazem com que este seja um avanço muito bem-vindo na luta contra o melanoma”, escavação de valas a principal responsável científico do Melanoma Research Alliance, Louise M. Perkins.

‘Ilumetri’ (Almirall) recebe parecer positivo da EMA para adultos com psoríase crônica em placas

Almirall anunciou nesta sexta-feira que o Comité de Medicamentos de Uso Humano (CHMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA) emitiu um parecer positivo para a aprovação regulatória da tildrakizumab, com o nome comercial de ‘Ilumetri’, um anticorpo monoclonal humanizado em pesquisa, inibidor de IL-23p19, de alta afinidade, para o tratamento de pacientes adultos com psoríase crônica em placas moderada a grave.


O tildrakizumab é um medicamento biológico pioneiro devido ao seu mecanismo específico de ação. Foi projetado para bloquear seletivamente a subunidade p19 da interleucina-23 (IL-23), um mediador inflamatório com propriedades regulatórias, e atua modificando a patogênese da doença, com um impacto limitado no resto do sistema imunitário.


O fármaco, que é administrada através de injeção subcutânea a cada três meses durante a fase de manutenção, é o resultado de um acordo de licença entre a Almirall e Sun Pharma para o desenvolvimento e comercialização de terapia para a psoríase na Europa. No passado mês de março, Sun Pharma recebeu a aprovação por parte da agência reguladora norte-americana para tildrakizumab nos Estados Unidos.


A opinião positiva do CHMP baseia-se nos resultados positivos dos estudos ‘reSURFACE’ 1 e 21, apresentados pela primeira vez em outubro de 2016 no 25º Congresso da Academia Europeia de Dermatologia e Venereología (EADV). Estes ensaios clínicos pivotales de fase III, que incluíram mais de 1.800 pacientes de mais de 200 centros clínicos de todo o mundo, mostraram que tildrakizumab tem um alto grau de segurança e eficácia.


De acordo com ambos os estudos, depois de apenas três doses, oito de cada dez pacientes tratados com tildrakizumab 100 mg ou 200 mg conseguiram 75 por cento do clareamento da pele na semana 28. Ao cabo de um ano, mais de 90 por cento dos pacientes que responderam a tildrakizumab dentro das 28 semanas mantiveram uma resposta semelhante.


A Comissão Europeia (CE) geralmente segue as recomendações do CHMP (EMA) e toma a sua decisão final, na base da mesma. A aprovação de ‘Ilumetri’ (tildrakizumab) espera-se em cerca de 60 dias e o seu lançamento na Europa por parte de Almirall está previsto para o final de 2018.

Alimentos preparados para crianças, o melhor evitá-los?

Publicado 20/08/2018 8:26:47CET

LISBOA, 20 Ago. (EDIZIONES) –

A alimentação infantil tem vindo a agravar-se à medida que a indústria alimentícia tem vindo a crescer e a maioria, ou quase todos os produtos alimentícios destinados ao público infantil não são recomendados para eles.

“São feitos para que gostem, porque, em geral, têm muita gordura ou muito açúcar, mas não são mais nutritivos que os alimentos não processados, que a comida real”, advertiu em uma entrevista com Infosalus a glândula endócrina e especialista em Nutrição Pomba Gil, por ocasião da publicação de seu novo livro ‘crianças sim comem verdura’ (Livros Cúpula).

Assim, lembre-se que as crianças, a não ser que o seu médico indique o contrário, podem comer os mesmos alimentos que come um adulto. “As necessidades de uma criança em relação ao adulto variam quanto à quantidade, mas não em relação à qualidade dos alimentos. No entanto, as prateleiras dos supermercados e lojas de comida estão cheias de alimentos destinados às crianças”, salienta a doutora Gil.

Com isso, lamenta que são alimentos ultraprocesados que proporcionam mais açúcar, gordura ou sal recomendada para uma criança, e que podem afetar a sua saúde e ao seu desenvolvimento tanto físico como mental.

Segundo destaca, as crianças costuma custar comer mais alimentos de origem vegetal e podem ser mais propensos a comer sem protestar sobremesas, os alimentos ricos em amidos (massa, arroz, batatas, pão e outros cereais) e os doces.

O ideal, portanto, seria que os alimentos para crianças fomentaran o consumo daqueles nutrientes mais necessários para as crianças. E, no entanto, não é assim, já que a maior parte destes alimentos para crianças costumam ser ricos em açúcar e às vezes em gorduras saturadas e gorduras trans”, reitera a especialista em nutrição e mãe de família numerosa.

Por isso, aconselha evitá-los e, se comprar, pensar que eles são um presente. “Uma sociedade em que, infelizmente, a obesidade infantil está aumentando cada vez mais, e isso é graças a isso que alimentamos nossos filhos com produtos que não são bons para eles”, afirma a doutora Gil.

Assim, insiste em que é muito importante que os pais saibam que, em geral, uma criança não precisa comer ou beber qualquer produto especialmente feito para ele. “Qualquer alimento bom e saudável para um adulto pode ser para uma criança, mesmo que a frequência ou a quantidade de seu consumo seja diferente”, acrescenta.

Neste contexto, a glândula endócrina e especialista em nutrição recomenda que você sempre leia os rótulos dos alimentos que se compram e lembre-se de que a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou para a necessidade de reduzir o consumo de açúcar em crianças com menos de 10% das calorias diárias para prevenir a obesidade e até mesmo a menos de 5%, para reduzir a cárie dental. “Isso significa que, em média, as crianças em idade escolar não devem tomar mais de 1 a 2 colheres de sopa de açúcar por dia”, precisa a doutora.

Por sua vez, ressalta-se que em Portugal 1 em cada 4 crianças tem problemas de excesso de peso ou obesidade, “e já que a legislação continua a ser muito permissiva com a publicidade e os ingredientes dos alimentos para crianças, não nos resta mais remédio que ser informados sobre o que se compra para os nossos filhos”.

Por outro lado, indica que uma criança não deve consumir mais de 4 a 10 colheres de sopa de gordura, dependendo da idade. Essa gordura deveria ser saudável, como a que nos trazem os frutos secos, o peixe azul ou o azeite de oliva virgem.

O consumo de gordura saturada deve ser menor do que 10 a 20 gramas por dia (equivalente a uma ou duas colheres de sopa) e, de preferência, não proveniente de produtos ultraprocesados; evitar gorduras trans ou parcialmente hidrogenadas. Além disso, alerta que uma criança não deve consumir mais de 2 gramas de sódio por dia, o que equivale a 5 gramas de sal de mesa (menos de uma colher de café).

Por tudo isso, a drª Paloma Gil vê com bons olhos que as crianças estejam bem alimentados, e principalmente por pratos cozinhados em casa, e controlando os ingredientes que são adicionados às refeições.

“Se há pouco tempo, há que se organizar e ir utilizando o congelamento, programar os menus semanais. A todos os pais preocupam-se com a saúde de seus filhos e leva o mesmo em abrir um pão de um pacote que preparar um sanduíche. A falta de tempo não é uma desculpa. O que é importante é ter uma dieta seja saudável. Além disso, se há pouco tempo, também não é necessário que seja muito elaborada. Uma criança tem que comer de forma saudável”, observa a glândula endócrina e especialista em nutrição.

Alimentos altamente processados e o câncer

Publicado 15/02/2018 8:23:31CET

MADRI, 15 Fev. (EUROPA PRESS) –

Um estudo publicado pelo “The BMJ’ informa de uma possível associação entre a ingestão de alimentos altamente processados (“ultraprocesados”) na dieta e o câncer. Se precisar de mais exploração, mas estes resultados sugerem que o consumo cada vez maior de alimentos ultraprocesados “pode gerar uma carga crescente de câncer nas próximas décadas”, alertam os pesquisadores.

Os alimentos ultraprocesados incluem produtos frescos e bebidas embalados, refrigerantes, cereais açucarados, refeições preparadas e produtos à base de carne reconstituídos, que frequentemente contêm altos níveis de açúcar, gordura e sal, mas falta de vitaminas e fibras. Acredita-Se que representam até 50% da ingestão total de energia diária em vários países desenvolvidos.

Alguns estudos têm relacionado os alimentos ultraprocesados com um maior risco de obesidade, pressão arterial alta e níveis de colesterol; mas a evidência firme que relaciona a ingestão com o risco de doença ainda é escassa. Por isso, uma equipe de pesquisadores, com sede na França e no Brasil se propôs a avaliar as possíveis associações entre a ingestão de alimentos ultraprocesados e o risco de câncer em geral, assim como os cânceres de mama, próstata e intestino (cólon).

Suas descobertas são baseadas em 104.980 adultos franceses saudáveis (22 por cento dos homens e 78% são mulheres) com uma média de idade de 43 anos que completaram pelo menos dois inquéritos dietéticos ‘on-line’ 24 horas por dia, concebidos para medir a ingestão habitual de 3.300 alimentos diferentes.

Os alimentos são agrupados de acordo com o grau de processamento e os casos de câncer foram identificados a partir das declarações dos participantes validadas por registros médicos e bancos de dados nacionais por uma média de cinco anos. Se tiveram em conta vários fatores de risco conhecidos para o câncer, como a idade, o sexo, o nível educacional, os antecedentes familiares de câncer, o tabagismo e os níveis de atividade física.

Os resultados mostram que um aumento de 10 por cento na proporção de alimentos ultraprocesados na dieta associou-se com aumento de 12 por cento no risco de câncer em geral e de 11 por cento no risco de câncer de mama. Não se encontrou relação significativa para câncer de próstata e colorretal.

Testes adicionais não há vinculação significativa entre os alimentos menos processados (como vegetais enlatados, queijos e pães frescos sem embalagem) e o risco de cancro, enquanto que o consumo de alimentos frescos ou minimamente processados (frutas, verduras, legumes, arroz, macarrão, ovos, carne, peixe e leite), em parceria com menores riscos de câncer em geral e o câncer de mama.

Trata-Se de um estudo observacional, pelo que não se podem tirar conclusões firmes sobre a causa e o efeito, e os pesquisadores apontam algumas limitações. Por exemplo, não podem excluir uma classificação errada de alimentos e garantir a detecção de cada novo caso de câncer, mas a amostra do estudo foi grande e que puderam ser ajustados para uma variedade de fatores potencialmente influentes.

“Até onde sabemos, este estudo é o primeiro a investigar e destacar um aumento no risco geral e, especificamente, o câncer de mama associado com a ingestão de alimentos ultraprocesados”, escrevem os autores, que destacam que é necessário continuar a trabalhar para compreender melhor os efeitos das diferentes etapas do processamento.

No entanto, sugerem que as políticas voltadas para a reformulação de produtos, impostos e restrições de comercialização de produtos ultraprocesados e a promoção de alimentos frescos ou minimamente processados podem contribuir para a prevenção primária do câncer.

Benefícios de correr descalço

Publicado 02/01/2018 17:14:08CET

MADRI, 2 Jan. (EUROPA PRESS) –

Correr descalço aumenta o rendimento do exercício ao envolver toda a musculatura do corpo na corrida e, por sua vez, aumenta o gasto calórico e reduz o risco de lesões, segundo comentou o diretor de Saúde de Zagros Sports, A Moral, Miguel Ángel Rodríguez.

E é que, prossegue, apesar de a imagem de check-out que possam dar uns pés descalços, a disposição do pé tem arcos e abóbadas em sua estrutura óssea, assim como um tecido muscular e tendinoso, que preparam e protegem o corpo para receber todo e qualquer impacto que possa ocorrer durante a corrida.

“Como pode um pedaço de espuma, uma câmara de ar ou um pedaço de gel amortecendo melhor que toda uma estrutura de esqueleto, muscular e tendinosa evoluída desde há milhões de anos e que trabalha continuamente?, questiona o especialista, para informar que a pele, por sua vez, se trabalha progressivamente, se vai adaptando aos diferentes terrenos para não sofrer danos.

Para os apelidados de ” corredores “descalcistas”, o treinamento não se concentra apenas no trem inferior, mas que também trabalham os músculos do core, ou a parte central do corpo. Neste sentido, o especialista explicou que um maior esforço muscular implica que são os músculos, os tendões, os quais estão levando a um maior peso na função de amortecimento natural, o que previne o aparecimento de lesões no tendão.

“Correr descalço implica estar muito mais atento a qualquer problema do terreno para evitar possíveis perigos, como cristais ou pregos. De forma inconsciente, o corredor presta muito mais atenção a sua pisada e passada, aumentando a sua concentração na atividade que está realizando. A mente está mais focada no momento da corrida, e o ‘corredor’ pode melhorar o conhecimento do seu próprio corpo e otimizar, por si mesmo, a sua técnica de corrida”, adicionou Rodríguez.

Agora, o especialista de Zagros Sports foi avisado de que, com o pé descalço se deve correr apoiando primeiro dos metatarsos, quase na ponta dos pés, evitando que o calcanhar impacto sobre o solo. “Qualquer superfície é válida para correr descalço, mas nem todos são igualmente bem-vindos. Nos primeiros passos, o ideal é começar em áreas com grama natural ou artificial ou na areia dura da praia. Haverá que ter especial cuidado com o gramado artificial, com mais chances de provocar escoriações nos pés. Após um período de iniciação, as estradas bem pavimentadas são um terreno perfeito para grandes distâncias”, acrescentou.

Finalmente, foi aconselhado praticar ‘running’ sem sapatos cerca de três dias por semana, deixando sempre um dia de descanso entre cada sessão, com o fim de evitar o superaquecimento dos pés e fazer com que estes se mantêm cuidados.

7 dicas para cuidar no verão com a comida

Publicado 22/08/2018 12:28:48CET

LISBOA, 22 Ago. (EUROPA PRESS) –

A falta de saúde visual provoca deficiência deste tipo e, em última instância, cegueira, duas patologias que afetam gravemente a vida de quem as sofre, pois a imensa maioria da informação que recebe de uma pessoa vá até usando os olhos.

A Organização Mundial de Saúde informa que tanto a deficiência visual como a cegueira são preveníveis em cerca de 80 por cento das pessoas e, neste sentido, a alimentação desempenha um papel fundamental: a relação entre a saúde visual e dieta é muito estreita.

No entanto, a chegada das férias de verão, você pode modificar o ritmo de vida normal, o que também influencia as diretrizes alimentares. Segundo a Associação a Visão e a Vida, existem três fatores que comprometem a mais para a saúde visual: o consumo excessivo de açúcar, da alimentação gordura ou uma dieta pobre em certas vitaminas.

“O excesso de açúcar na nossa dieta afeta não apenas o sistema vascular, mas que pode ser causa de catarata, e está associado a problemas visuais em determinadas pessoas, como os diabéticos”, explica a doutora em biologia Mercedes Aguirre.

Em relação a uma dieta de gordura, Aguirre indica que “um excesso de gorduras trans ou saturadas gera problemas na parede interna dos nossos vasos sanguíneos, atrapalhando o bom fluir do sangue”.

Um aporte insuficiente de algumas vitaminas, como a C, D e e, e minerais como o zinco geram um aumento de radicais livres, que deteriorarán os tecidos de nossos olhos e oxidam o nosso sistema visual”.

Levar a cabo determinadas acções na hora de se alimentar no verão pode ser muito benéfico para cuidar da saúde visual durante esta época do ano. “É muito fácil, mesmo em férias, manter uma dieta saudável, como a mediterrânea, e evitar, deste modo, muitas complicações visuais em todas as idades”, tal como foi sublinhado Aguirre. Visão e Vida destaca-se:

– No verão, quanto menos tempo na cozinha, melhor. Com esta ação evita a ingestão de alimentos ricos em gorduras saturadas, como frituras ou rebozados, dado que é muito mais benéfico consumir alimentos no vapor ou em cru, temperado com azeite de oliva.

– Agosto é tempo de frutas e verduas. Tanto para melhorar a saúde visual, como para proteger o resto do organismo, em época de sol, é muito importante o consumo de frutas vermelhas ou roxas, como os morangos, os mirtilos e as uvas, e as laranjas, como o pêssego, a laranja ou a nectarina.

– Para beber, nada melhor do que água. É importante evitar que as crianças consumam muitos refrigerantes ou bebidas açucaradas. Melhor substituir por sucos naturais. Também não é bom abusar do leite de vaca, e deve ser combinada com outras, como a de amêndoas ou soja.

– Na praia, veja os alimentos que dispõe o mar. Peixes como o atum, a sardinha ou anchova possuem grandes quantidades de DHA, uma gordura omega3 presente na mácula em um percentual de 55 por cento. Ajuda a desfrutar de uma visão nítida e promove o bom funcionamento da retina.

– O pão, melhor abrangente. Tem menos açúcar que o pão refinado e nos oferece o aporte de fibra necessário. Além disso, é importante evitar o consumo de produtos de pastelaria industrial ou guloseimas, já que afetam de forma direta o sistema visual.

– Se não deixarem de ser utilizados nas telas, há que se proteger. A Sociedade Portuguesa de Oftalmologia destaca-se que a visualização realiza um esforço extra para manter-se focada em um objeto que está a uma distância curta. Produz falta de cintilação, o que resulta no ressecamento dos olhos, irritação ocular e fadiga visual.

A luteína e a zeaxantina, presentes em alimentos verdes, como a salsa, os aspargos e espinafre; alaranjados, como o pimentão laranja, a gema do ovo e as nectarinas ajudam a evitar a luz azul emitida pelo celular, tablet ou tv.

– Para proteger desde a infância na retina, os minerais. O zinco é muito abundante na retina, já que desempenha funções de suporte imprescindíveis. Alimentos como a carne, espinafre, ou grão-de-bico e o arroz, podem ajudar a completar a dieta.