Carregando...

Pronto para as novidades?

Clique no botão e explore nosso site
Confira as matérias

Colesterol, inimigo declarado

Por que éimportante o colesterol em matéria de saúde?


Laarteriosclerosis é uma doença que machuca lasarterias do organismo. Quando afeta à área das artérias coronariasocasiona a doença coronariana, ou doença cardíaca isquémica (que comprendeenfermedades como o infarto do miocárdio e diversos tipos de angina depecho).


Recomenda-Se consumir com cautela margarinas, lecheentera e natas fermentados, queijos, carnes gordas e doces.


Além do corpo, é encontrado também em outras áreas arterialescomo a cerebral, a artéria da cavidade abdominal ou aorta, e outras arteriasdenominadas periféricas, pelo que, na literatura médica, a enfermedadproducida pela formação de lesões arteriais arterioscléroticas delorganismo geralmente é chamado também de doença cardiovascular, enfermedadvascular periférica.


A importância do colesterol sedebe a que se relaciona com a doença arteriosclerótica, em particularcuando afeta as artérias do coração (artérias coronárias), e parte deobservaciones iniciais sobre animais alimentados com alto teor encolesterol e a demonstração de que ele estava envolvido como um constituyenteimportante da placa arteriosclerótica (a lesão característica de laenfermedad).


Enbreve



  • O colesterol ‘bom’ (HDL) não deve serinferior a 35mg/dl

  • O “ruim” (LDL) não deve exceder los160mg/dl

Durante muitos anos, aimportância do colesterol foi objeto de controvérsia, até que, depois de laSegunda Guerra Mundial, realizaram-se grandes estudos epidemiológicos. Enestos estudos foram fortalecidos as consequências negativas do aumento decolesterol no sangue (hipercolesterolemia).


Foi demonstrado que a hipercolesterolemia serelaciona diretamente com o risco de sofrer unaenfermedad coronariana no futuro. Setrata de uma relação linear, de forma que, se o valor de colesterol aumentaun 1%, o risco de complicações cardíacas pode aumentar de 2% para 3%.Além disso, este aumento no risco guarda relação com a idade (40 añosde idade, um aumento de 10% no colesterol total associou-se a um incrementodel risco de 54%, de 39% a 50 anos de idade, 27% a 60 anos deedad, e de 20% aos 70 anos de idade).


No querespecta, por outro lado, não parece que exista um limite de “baixo” de colesterolcon em relação ao risco; por exemplo, em um estudo sobre homens chineses conniveles de colesterol considerados baixos, o aumento de 10% de tais valores decolesterol no sangue relacionou-se ao aumento do risco de doença coronariadel ordem de 20%.


Como Saber mais?


Leproponemos os seguintes artigos:


Qual é a importância da aterosclerose?


O tratamento das doenças causadas por laarteriosclerosis está sendo um desafio para todos os profissionais de lasalud, em especial os envolvidos em prevenir a doença antes de queésta apareça. A prevenção primária é a especialidade dirigida a detectar yestablecer medidas para evitar que surjam novos casos de uma determinadaenfermedad.


Estima-Se que mais de um terço detodas as mortes em países desenvolvidos devem à enfermedadcoronaria.


Desde a década de oitenta a mortalidadmasculina devido a doença coronária tem diminuído progressivamente, graças aos esforços preventivos, mas entre as mulheres, a presença de enfermedadcoronaria parece continuar aumentando.


Antigamente secreía que as doenças coronárias afetam mais os homens que a lasmujeres, mas, ao aumentar o número de mulheres mais velhas, estima-se que losprocesos cardiovasculares, possivelmente, serão a principal causa de muertefemenina. Agora, a partir dos 60 anos da doença em mulheres apareceunos 10 anos depois, e o primeiro infarto cerca de 20 anos mais tarde que no loshombres.


Consultas almédico


Veja em nossa (‘Pergunte ao médico’ muitas consultasrealizadas por nossos usuários.


Entre lapoblación masculina, a doença cardiovascular é apresentada antes em lasmujeres, mas este efeito cedo, se atenua significativamente a partir dos 60años. Após a menopausa, o risco de doença coronariana feminina é tresveces superior. Depois dos 50 anos, os níveis de colesterol parecenestabilizarse entre os homens, enquanto as mulheres se observa unaumento.


O Quésignifica risco cardiovascular?


A partir dos añossesenta, se criou o termo fator de risco cardiovascular que descreve unacaracterística de uma determinada pessoa (ou de uma população de pessoas)associada a um aumento do risco de desenvolver uma doença cardiovascular de um futuro. Na saúde cardiovascular, falar de prevenção é falar de factoresde risco.


Os fatores de risco para a enfermedadcoronaria podem relacionar-se com os hábitos da pessoa (tabagismo, alimentação, atividade física), ter unosrasgos hereditários (algum tipo de processo coronariano como angina de peito,enfarte do miocárdio, etc., em um parente de primeiro grau), ou bienrelacionarse com dados de laboratório, como o aumento do colesterol no unanálisis de sangue.


Além da informação sobre o colesterol total, ao obter-se técnicas de laboratoriomás puras puderam ser detectadas algumas partículas de colesterol denominadaslipoproteínas, cujas duas frações HDL e LDL são as catalogadas comocolesterol favorável ou “bom” colesterol desfavorável ou “ruim”,respectivamente. A determinação destas duas lipoproteínas ligadas alcolesterol permite analisar com muito mais rigor o riesgocardiovascular.


O Programa Nacional de Educação no Colesterol (NCEP) dos Estados Unidos define os fatores de riesgocomo:



  • Consumo detabaco.

  • Aumento dos valores de pressão arterial (hipertensão).

  • Um nível em sangrede colesterol ligado à lipoproteína HDL inferior a 40 mg/dl, o nível de HDLigual ou superior a 60 mg/dl são considerados um fator protetor contra alriesgo).

  • Antecedentes familiares de doença isquémicaprematura

  • Idade igual ou superior a 45 anos de idade envarones e 55 ou mais anos de idade em mulheres.

O que significa “bom” colesterol ycolesterol “mau”?


As principais gorduras na sangreson o colesterol, os triglicerídeos, ácidos graxos livres e losfosfolípidos. Essas gorduras não são solúveis no plasma do sangue e secombinan com determinadas substâncias para formar moléculas transportadoras demayor tamanho, denominadas lipoproteínas, que são capazes de reconhecer mediantetécnicas de utracentrifugación. Foram detectadas diversas lipoproteínas unidasal colesterol, de entre as quais, as de baixa densidade (LDL, já que semantiene o nome, em inglês low density lipoprotein–) e de alta densidade (HDL ou high density lipoprotein) sonlas mais reconhecidas.


As partículas LDL desempenham unafunción fundamental e necessária na formação da aterosclerose. Suaumento no sangue é considerado prejudicial e constitui um objetivo para lostratamientos destinados a reduzir o risco cardiovascular. Pelo contrário,as HDL têm um efeito inverso aos anteriores e o seu aumento no sangue seconsidera protetor em relação ao risco cardiovascular.


O perfil de lipídios básico inclui a determinação dos níveisde colesterol total, colesterol-LDL, colesterol-HDL ytriglicéridos.


Em términosde colesterol total, os níveis indicados por todas as escuelasson:



  • Se a concentração decolesterol é menor de 200 mg/dl, considera-se desejável.

  • Se a concentração de colesterol situa-se entre 200 mg/dl e 239mg/dl, considera-se limítrofe-alta.

  • Se a concentração decolesterol excede o valor de 240 mg/dl, considera-se de alto risco.

Em termos decolesterol LDL, os níveis indicados são:



  • Se a concentração de colesterol LDL inferior a 100 mg/dl, seconsidera ideal.

  • Se a concentração de colesterol LDL sesitúa entre 100 e 129 mg/dl, considera-se quase ideal.

  • Sila concentração de colesterol LDL situa-se entre 130 a 159 mg/dl, se consideralimítrofe-alta.

  • Se a concentração de colesterol LDL sesitúa entre 160 a 189 mg/dl, considera-se alta.

  • Se laconcentración de colesterol LDL é igual ou superior a 190 mg/dl, se consideramuy alta.

Em termos de HDL-colesterol, os níveis indicados são:



  • Entre os homens, as concentrações decolesterol HDL que variam entre 40 e 50 mg/dl, se considerandeseables.

  • Entre as mulheres, as concentrações decolesterol HDL que variam entre 50 e 60 mg/dl, se considerandeseables.

  • Se a concentração de colesterol HDL é a 40 mg/dl, considera-se baixa e representa um fator de risco para laenfermedad coronariana.

O que o médico pode fazer?


Para prevenir a doença cardiovascular é crucialidentificar pessoas com alterações no perfil das gorduras no sangue, yayudarlos a regular este problema. De acordo com os valores dos Estados Unidos, e apesar atingidas conseguiu reduzir os níveis de colesterol modestamente do principiosde os anos sessenta, os últimos cálculos indicam que 50% de todos losadultos norte-americanos detectam concentrações de colesterol superiores a200 mg/dl e que em 20% dos adultos, estes níveis são iguais ou superioresa 240 mg/dl.


A Associação Americana do Coração yel Colégio Americano de Cardiologia elaborou um sistema de puntuaciónpara estimar o risco de doença coronariana, de acordo com a idade, lascifras de colesterol total (e suas fracções), a pressão arterial, sise é ou não diabético e se é ou não fumante. Também na Europa, a SociedadEuropea de Cardiologia desenhou igualmente algumas gráficas sobre risco coronarioque têm em conta os níveis de colesterol, os valores de pressão arterialy se consome ou não do tabaco. Existem algumas diferenças na pontuação entreambos os sexos.


Uma questão controvertida é a partir cuándoy com que frequência você tem que determinar um perfil completo de lipídios em ayunaspara todos os adultos. Nos Estados Unidos, o NCEP o recomenda para todos losadultos de mais de 20 anos de idade, enquanto que o Colégio norte-Americano deMédicos apenas em homens entre 35 e 65 anos de idade e mulheres entre os 45 e 65 anos de idade.

Publicidade

Como é que é, a grandes traços, o tratamento de lahipercolesterolemia?


De acordo com a maioria dos guias actualessobre prevenção do risco cardiovascular, o colesterol LDL permanece elobjetivo fundamental do tratamento. A forma de abordar o problema de suaumento está em consonância com o estado de risco da pessoa:



  • Quando existe doença coronariana, ou sedetectan doenças de risco equivalente, como outras alteracionespatológicas não cardíaca, causada por aterosclerose (como enfermedadde as artérias periféricas, dilatação (aneurisma da aorta abdominal, doença de lasarterias do pescoço (carótidas) que produza sintomas), ou se a pessoa sufrediabetes, o objetivo é reduzir o nível de LDL até valores inferiores a 100mg/dl. Neste caso, além de abordar os demais fatores de risco e empezaruna dieta saudável, podem ser definidas as drogas que normalicen os níveis degrasas no sangue.

  • Quando uma pessoa sem enfermedadcoronaria existam dois ou mais fatores de risco para doença coronariana, elobjetivo é um nível de LDL inferior a 130 mg/dl. Para pessoas sem enfermedadcoronaria mas com um ou nenhum fator de risco, o objetivo é um nível deLDL inferior a 160 mg/dl.

De qualquer forma,o primeiro passo, indispensável, para a redução do colesterol e elcolesterol LDL consiste em modificar os hábitos da pessoa:



  • Deixar de fumar em caso de serfumador.

  • Mudar a dieta, no caso de que o peso seanormal, e em caso de excesso de peso, além de estabelecer medidas parareducirlo.

  • Manter um nível de atividade física (mediaa uma hora por dia na maioria dos dias da semana).

O que pode hacerusted?


A imprensa médica norte-americana foi considerado alcolesterol como o assassino número um em matéria de saludcardiovascular.


O aumento de colesterol no sangue esfrecuente e às vezes tem um carácterfamiliar. Certifique-se com a ajuda de seu médico sobrecuál é o seu nível de risco, em especial, se há familiares por via paternao materno de doença coronariana.


Se você já sabe que sucolesterol é alto, descubra o que significa tal aumento e saiba que existenformas para reduzi-la, começando por mudar o estilo de vida. O seu médico leindicará se, além disso, é necessário seguir um tratamento com medicamentos parareducir seus valores de colesterol.


Dieta



  • A dieta para reduzir o colesterol ensangre é baixa em gorduras do tipo saturada. Recomenda-Se consumir com cautelamargarinas, leite integral e natas, queijo rico em gorduras, carnes gordas yproductos de pastelaria.

  • Limite o consumo de ovos(gemas) para duas por semana.

  • O consumo de gorduras insaturadasresulta benéfico neste sentido, pelo que se recomendam os aceitesvegetales e seus produtos (oliva, girassol, milho).

Ajudar a sua dieta se:



  • Adota o hábito de aumentar sua atividade física, por exemplo,andando por menos de meia a uma hora a maioria dos dias de lasemana.

  • Mantém o peso correto ou perde peso, no caso desobrepeso.

  • Consumealcohol com moderação.

  • Lembre-se que as medidas para reduzir o risco coronarioson limitadas se não se abandona o hábito de fumar.
Dra Montserrat Vilaseca Corbera, especialista em Cardiologia. Atualizado: 08-03-2017