Carregando...

Pronto para as novidades?

Clique no botão e explore nosso site
Confira as matérias

‘Keytruda’ (MSD) reduz o risco de reincidência ou morte em 43% como terapia adjuvante no melanoma avançado

Pembrolizumab, registrado por MSD com o nome de ‘Keytruda’, reduz o risco de recorrência da doença ou a morte de 43 por cento em comparação com o placebo como tratamento adjuvante no melanoma em estadio III, ressecado e de alto risco.


Assim o mostram os resultados do ensaio de fase 3 ‘EORTC1325’/ ‘KEYNOTE-054’, anunciados pela companhia e pela Organização Europeia para a Investigação e o Tratamento do Câncer (TRAUMÁTICO, por suas siglas em inglês), na reunião anual da American Association for Cancer Research de 2018, com publicação simultânea na revista ‘The New England Journal of Medicine’.


“A TRAUMÁTICO está muito satisfeita de ter colaborado com a merck neste importante estudo, que mostrou um benefício significativo na sobrevida livre de recaída em melanoma em todo o estádio III”, diz o diretor do estudo, diretor geral do Instituto do Câncer Gustave Roussy e professor de Oncologia na Universidade de Paris-Saclay (França), Alexander Eggermont.


Neste sentido, o vice-presidente sênior, diretor de Global Clinical Development e diretor médico de Pesquisa clínica para a merck Research Laboratories, Roy Baynes, garantiu que os dados trazem “provas convincentes” de que o tratamento adjuvante com pembrolizumab proporcionou um benefício significativo na sobrevida livre de recidiva após cirurgia em pacientes com melanoma em estadio III de alto risco.


“Estes são os primeiros dados de pembrolizumab no contexto de adyuvancia e marcam um importante avanço no tratamento do melanoma em estadio III ressecado. Estamos muito felizes de compartilhar estes dados com as autoridades regulatórias internacionais”, destaca.


Trata-Se do primeiro tratamento anti-PD-1 em mostrar benefício na sobrevida livre de recaída em melanoma em estádios, IIIA, IIIB e IIIC. O benefício na sobrevida livre de recidiva foi observada, também, independentemente do estado de mutação de BRAF. Como tinha sido anunciado anteriormente, a merck está trabalhando para enviar os dados do estudo ‘EORTC1325’/’KEYNOTE-054’ para as agências reguladoras dos Estados Unidos e de todo o mundo.


“Como uma organização dedicada a eliminar o sofrimento e as mortes causadas pela melanoma, temos o prazer de ver esses novos dados importantes com pembrolizumab. A possibilidade de prevenir significativamente a recidiva de melanoma após a cirurgia, juntamente com o perfil de segurança apresentado, fazem com que este seja um avanço muito bem-vindo na luta contra o melanoma”, escavação de valas a principal responsável científico do Melanoma Research Alliance, Louise M. Perkins.